Leitura do mês – Janeiro

Okay, eu sei que já estamos em março, mas por conta da preguiça  mudança, acabou que enrolei para atualizar o blog. 

Em janeiro minhas leituras foram só mangás, para falar a verdade. Depois e até o momento eu estou na batalha lendo It, que eu nem imagino quando vou terminar. E justamente por conta da mudança, não sei onde coloquei o restante da coleção !!! Quando eu terminar o It e encontrar os outros volumes, aí eu termino Karekano.

 

 

[Dia 12] Desafio de escrita – Uma vista da janela

Há pouco mais de um mês, eu mudei de casa. Saímos de um apartamento e nos mudamos para uma casa de fato. Fazia dois anos e meio que morávamos lá e eu não via a hora de poder voltar a morar numa casa, já que minha vida toda eu tinha morado em casas.

Mesmo o espaço do apartamento sendo compatível para um jovem casal, eu me sentia sufocada e presa lá. Bom, eu morei 17 anos num sítio e que tinha um puta espaço para a gente. De repente, morar num lugar que sequer tinha um quintal, era muito diferente.

Não só isso, eu queria muito mudar de lá por conta da Caramelo, nossa cadelinha de dois anos. Ela é grandinha e um apê era muito pequeno para ela também. Ela ficava estressada e vivia destruindo algo lá. Eu e meu noivo vivíamos ansiosos, pois cada vez que voltávamos para casa, ela tinha destruindo uma nova coisa.

E então veio nosso “presente de Natal” quando conseguimos arranjar um novo cantinho para a gente. Mudamos de fato em janeiro (afinal, tinha muito mangá muita coisa para guardar!). Agora estamos num lugar que tem um quintal enorme para a Caramelo, as gatinhas tem um espaço enorme para explorar e podemos ficar com todas as janelas abertas, pois telamos todas. Teremos um lugar para guardar os mangás e eu terei um escritório melhor para escrever junto com um bom espaço para montar meu canto Lolita!

Estou bem feliz com essa nova fase. A Caramelo está bem melhor também e não destruiu praticamente nada depois que nos mudamos. É uma nova etapa que se inicia com muitas caixas para pôr no lugar!

[Dia 11] Desafio de escrita – Uma aventura no céu

kisspng-clip-art-image-travel-avatar-kawaii-5b9a2ac6472027.4372643415368301502913

Faz um bom tempo que eu não atualizo nada e eu resolvi pular os temas do dia 09 (uma experiência triste) e 10 (uma descoberta infantil) por falta de assunto. Então vamos para o 11 e segue o baile.

Infelizmente, nesses meus 23 anos eu não tive nenhuma experiência área… Mas para não deixar a tag em branco vou listar abaixo os lugares, alguns abaixo que eu gostaria de viajar:

  • Japão: top blaster número 1 dos lugares que quero conhecer e um dia voltar a aprender a língua. Amo a cultura, a moda, animes, comida, música principalmente!! Quero conhecer de ponta a ponta, Tokyo, Osaka e até Okinawa. Meu sonho conhecer Harajuku e as ruas de Shibuya. Quem sabe até ver uma florada de cerejeiras!

tumblr_static_tumblr_static_filename_640

  • Itália: terra da família do meu noivo, também é um lugar que quero conhecer por ser fã da comida (sempre!!). É um lugar muito bonito também e encantador. Italiano também é um idioma que eu gostaria de aprender.

pr-venice-italy-5-may-19

  • Gramado: bom, eu amo o frio, então me levem para lugares assim! Quero conhecer lugares frios e fofos XD Sei que lota nessas épocas, mas gostaria muito ver lá no Natal ou na Páscoa.
  • Ceará: contradizendo o que eu disse acima, vou por mesmo um baita estado quente. Acontece que toda a minha família é de lá e adivinhem: eu amo a comida. Eu gostaria de conhecer mais das história localização também, pois tenho um projeto solo em mente.
Lagoa-Paraiso

nossa, isso deve ser muito bom XD

Não quis me prolongar muito, mas basicamente são esses os lugares Para viajarmos, temos que ver lugares Pet Friendly, pois temos a cachorra e as gatas, e é meio ruim deixar elas sozinhas. Ou seja, bem improvável conseguir viajar para o exterior. Mas dá para encontrar lugares para se divertir.

E vocês? Já foram para esses lugares acima ? Tem alguma dica para compartilhar?

Creepypastas concorre em quatro categorias no Alien Awards 2018

50399505_308605909762297_2550498214843252736_n

O canal Livro Voador Não Identificado, da Leticia de Pinho da Silva, está promovendo um concurso para eleger a obras nacionais em várias categorias. Creepypastas – lendas da internet, concorre em quatro categorias! Participo dessa antologia com o conto “A Parteira”.

Você pode votar até 07/02 através do link:

 https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfNvRVXTvoEljnZ-Ud9MUr_tM8BCig-RW6Q48j5Ed8KCyYR-A/viewform?fbclid=IwAR3trWkzVyV-658Y6v8RTRagapWaYaz5v7KqOU_ZrH1Hc3uHrHWcZph7os8

Que roupas são essas que eu uso?

É fantasia? Cosplay? Teatro? Fetiche???

43754124_1984184911661187_8097226019796156416_n37562518_1856979844381695_7643061278675566592_n17499513_1350590711687280_6154301069980361033_n20245911_1474529619293388_6554288517242554668_n

Quem me vê pela primeira vez e ainda por cima usando essas roupas é – infelizmente – comum fazerem esses tipos de perguntas. Se eu estou fantasiada para alguma peça de teatro ou se é para algum evento. Quando é assim, dou simplesmente uma resposta genérica: “são apenas minhas roupas”. Caso a pessoa se sinta mais interessada, eu digo que é uma moda alternativa japonesa. E se a pessoa estiver mais interessada ainda, eu complemento dizendo que é inspirada na moda vitoriana e rococó.

Mas porque esse cuidado todo? Porque além de todas aquelas perguntas acima, se eu acabo dizendo o nome da moda, posso acabar ouvindo comentários muitas vezes desagradáveis,

Mas como eu vim aqui para esclarecer melhor sobre o assunto, então vamos contar tudo!

Esse estilo se chama Lolita, sendo que no Japão, também é chamado de roriita. O que muitas vezes acontece, é que as pessoas associam facilmente este nome ao romance homônimo do russo Vladimir Nabokov, em que tem como tema central a pedofilia. Infelizmente essa é uma associação comum.

A j-fashion Lolita nada tem a ver com fetiche ou pedofilia, muito pelo contrário, são pessoas que querem vestir para si mesma de um jeito fofo e/ou como uma princesa. A moda surgiu por volta da década de 70 para 80 no Japão e atualmente já ganhou o mundo todo.

Existe vários subestilos para satisfazer todos os gostos!

Classical Lolita (meu favorito!)

 

Sweet Lolita (meu segundo favorito) ♥

Country Lolita (seria uma fusão dos dois acima, numa temática mais campestre, como é a junção dos dois que eu mais gosto, então também é um dos meus favoritos :v)

Hime Lolita (Hime significa Princesa em japonês, acho muito estilo, gostaria de fazê-lo um dia)

Pirate Lolita

Gothic Lolita

Punk Lolita

 

Esses são os principais sub-estilos, e como podem ver, é uma moda bem variada e linda. A principal e indispensável característica está na saia rodada com o uso de uma anágua. Algumas das principais marcas japonesas são Innocent World, Baby, the Stars Shine Bright e Angelic Pretty Infelizmente as roupas de brand (marca ou burando) são bem caras, isso por conta da alta qualidade do material e prints (estampas) originais. Mas não desanime! Eu mesma nunca comprei de fora, minahs únicas duas peças de brand são de segunda mão (existem outras opções para você comprar internacionalmente, mas como eu nunca fiz não irei mencionar).

Mas não se preocupe! A Moda Lolita já bem popular no Brasil e você pode encontrar opções de peças originais de lojas nacionais, como:

Atelier Charmant

Lojinha da Anna Hel

Morangato

Me likes Tea

Cotton Candy Feet Shoes

Lolita Sales BR ~ (uma opção para conseguir peças de segunda mão e quem sabe conseguir com alguém próximo de você poder combinar entrega em mãos!)

Eu conheci a moda em 2011 e uso desde dezembro daquele ano. Meu guarda-roupa é bem modesto, muitas das minhas peças foram feitas pela minha mãe, que também ama o estilo! Na época eu curtia visual-kei (uma outra j-fashion) e pesquisando sobre ela acabei conhecendo Lolita. Minha principal fonte foi o blog Reino de Morango , então fuça lá! E se você souber bem inglês, você poder dar uma fuçada também no FYeahLolita .

Espero ter esclarecido melhor sobre o estilo ♥ 

Saindo da caixinha – Porque publiquei numa antologia de amor

Quando me perguntam o que eu escrevo, eu respondo que é principalmente terror. Gosto de escrever coisas sombrias, macabras, sangue e fantasia também. Mas, para se tornar um bom escritor, é necessário saber explorar vários lados e se diversificar. Foi por isso que me desafiei a escrever algo completamente fora do que eu havia escrito até o momento: romance.

No caso, isso foi em 2017, quando ocorreu a primeira edição do Corujandross – uma maratona de escrita pela madrugada promovida pela Andross Editora. Nela, os autores trabalhavam em seus textos das 22h00 às 06h00, fazendo revezamento de uma hora de escrita e meia de descanso. Nesse ínterim, os textos eram enviados aos organizadores de antologia para ir mediando em tempo real.

Juntamente com Leandro Schulai, eu fui escrevendo um conto para a antologia de amor “Sem mais, o amor“. Eu não consumo contos de amor (prefiro ler mangás do gênero …rs), torcia meio o nariz, mas ainda assim, resolvi escrever sobre para sair totalmente da minha zona de conforto. Para dar início a história, escolhi alguma história romântica minha com meu noivo. E deu certo! Em meio a xícaras de cafés e feedbacks, o conto saiu e foi aprovado na antologia!

com Leandro Schulai, organizador das antologias de amor

Foi uma experiência interessante e como estou ainda bem em início de carreira, é bem fácil explorar as antologias com variados temas. Tanto é que em 2018 saí em outra antologia de amor, novamente pela Andross (única antologia que participei com eles neste ano).

Por isso, permita-se explorar outros gêneros, tanto para escrever quanto para ler. Não se feche apenas no seu mundinho achando que é suficiente. Quanto mais bagagem, melhor. Desafie-se. Além disso, eu vejo toda essa exploração, um ato necessário para dar frutos quando eu escrever um romance, onde devo saber trabalhar várias emoções e situações, diferentemente de um conto.

Topa o desafio?

Leitura de 2018

9a4e8f69ccae8f637028eac6f835fc79--cat-coffee-coffee-book

Hoje é o último ano de 2018 e vamos ao saldo da minha leitura! 

  • Deuses Americanos – Neil Gaiman;
  • (HQ)Chobits (12 ao 16) – CLAMP;
  • O Iluminado – Stephen King;
  • (HQ)Savana de Pedra – Felipe Castilho, Thainan Rocha;
  • (HQ)Imobiliária Sobrenatural – Dan Goldman;
  • (HQ) Zikas – Raphael Fernades, Alessio Esteves, Junior Ferreira;
  • (HQ) Doppler – Rafa Louzada, Doug lira, Rainor Marinho;
  • (HQ) Space Opera – Vários Autores;
  • (HQ) O despertar de Cthulhu – Vários autores;
  • (HQ) Kimera – a última cidade – Vários autores;
  • Zinescritos – Vários atores;
  • Ninguém nasce herói – Eric Novello;
  • A raiz da maldade – Claudia Mina;
  • Quando o mal tem um nome – Glau Kemp;
  • Santa adrenalina (li duas vezes, na verdade) – Claudia Lemes;
  • Metades – Vários autores;
  • Creepypastas – Lendas da Internet – Vários autores;
  • Os arteiros mágicos – Neil Patrick Harris (dezembro)
  • (HQ) Kare Kano (1 ao 7)
  • (HQ) Uzumaki – Junji Ito

No fim, sinto vergonha de só ter lido 10 livros (contra o dobro de quadrinhos). Espero melhorar essa marca ano que vem…